Viver uma Pandemia

Por Isabelly Nunes

IMG_20210708_074531

Tenho 25 anos, sou professora e moro em uma cidade do extremo sul do país, Bagé.

Eu só tinha ouvido falar em pandemia nos filmes e nas aulas de história e ciências e nessa época, nunca imaginei que em 2020 viveria a pandemia de covid-19, o coronavírus.

Hoje, 23 de março de 2021, são exatamente 1:15 da manhã, estou vivendo a meses os sentimentos de incerteza, tristeza e saudade.

O início da pandemia no Brasil foi motivo de vários memes circulando pela internet e aquilo já me preocupava; dois meses depois, surgiu o primeiro caso no Rio Grande do Sul e dias depois estávamos em quarentena e nossa vida se tornou uma súplica de ‘’fique em casa’’.

A minha última aula presencial foi dada em 17 de março e só voltei a trabalhar em maio, de forma remota.

Neste momento, o sentimento era de que em algumas semanas tudo voltaria ao normal… Não voltou…

Fiquei em isolamento até final de julho. Onde saía em casos de urgência e extrema necessidade.

O meu psicológico já dava sinais de fragilidade.

Em 4 meses adquiri 10 quilos, compulsão alimentar e tive muitas crises de ansiedade.

Assisti muitas lives e esse entretenimento foi fundamental para distrair a cabeça.

Li vários livros, encurtei distâncias com chamadas de vídeo, acostumei a usar álcool em gel em tudo e a utilizar a máscara como ‘’acessório’’ fundamental no meu dia-a-dia.

Aos poucos, procurei entrar no ‘’novo normal’’ e retomei a prática de atividade física e acompanhamento nutricional.

Mas concomitante a isso, muitas pessoas foram contaminadas, muitas perderam a vida e várias que se curaram, sofrem com sequelas no corpo e na mente.

Passei a evitar assistir noticiários. A cada notícia, o vazio e o retrocesso aos sentimentos do início da pandemia. 

À medida que o número de vítimas cresceu absurdamente, passei a me entristecer em ver que tanta gente desdenha da gravidade deste vírus.

Pelo amor de Deus! O que vivemos é tão triste e preocupante…

A desigualdade gritando bem na frente dos nossos olhos… Gente pedindo socorro!

Gente doente, gente passando fome, gente sem acesso a ensino de qualidade… São tantos fatores…

Eu infelizmente não tenho super poderes, mas algo que sempre tive foi enxergar além do que meus olhos podem ver, e tudo que vejo é ASSUSTADOR. Para mim, é extremamente difícil enxergar os dias melhores…

Graças aos imensos esforços da ciência, temos VACINA, mas ainda temos muita gente inconsequente, irresponsável e que só pensa no seu próprio umbigo.

O ciclo não vai mudar enquanto agirmos da mesma forma! Não vai mudar!

E quantas pessoas ainda terão que partir?

E quantos leitos terão que faltar?

E quantas UTIs terão que ficar lotadas?

E quantas festas clandestinas e aglomerações terão que ser denunciadas?

Escrevo esse texto tentando buscar um pouco de esperança, mas juro, é muito difícil.

Estou triste com tudo que está acontecendo… A Isabelly de março de 2020 não é a mesma de março de 2021.

Vivo diariamente com medo, adquiri insônia e receio do futuro.

Vivo da saudade do que foi a minha vida tão recentemente, e com saudade de um futuro que quero viver, mas que vejo muito, muito distante.

Amo o convívio com pessoas. O toque, o abraço, a roda de chimarrão, a rotina nas escolas.

Sinto muita falta!

Eu me cuido não apenas por preservar a minha vida e a minha saúde, mas sim por todos e principalmente por quem amo.

Por amar tanto a oportunidade de estarmos vivos, eu peço a vocês: Cuidem da  saúde de vocês, e dos teus próximos.

E lembrem-se de que é amor quando vocês lembram sobre os cuidados…

É amor quando vocês recusam participar de aglomerações em família ou entre amigos…

É amor quando vocês deixam de abraçar.

Portanto, mais do que nunca, AMEM!

Mas amem de longe e descubram outras formas de demonstrar o amor que vocês sentem pelas pessoas.

Não esperem o vírus chegar na casa de vocês para se prevenir dele. SE CUIDEM!

Torço pelo dia em que tudo isso seja apenas um passado distante e de muito aprendizado pra quem percebe a nobreza de estar vivo.

Cada um de nós é responsável por isso.

Cuidem da saúde mental de vocês.

Relembrem e se precisar, revejam suas prioridades.

O que é o dinheiro quando ele não for suficiente para voltar a um segundo atrás do último suspiro de vida de quem vocês mais amam?

Por fim, que o fim desta história seja o início de uma nova era de luz e amor.

Por todas as vítimas, peço luz e descanso e, neste momento, a minha mais sincera oração…

Por todas as pessoas da Terra, peço empatia e mais amor.,,

Fiquem, na medida do possível, em casa!

Algo lindo espera por nós. Eu quero que estejamos bem para viver, ver, sentir e agradecer.

Que Deus nos proteja, AMÉM!

Até mais…

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Junipampa