7 MANEIRAS COMO A MULHER FOI DEMONIZADA

Por Dienifer Vieira

3 – A mulher “é perigosa e traiçoeira”

Segundo Fernandes (2002), em As Marionetes do Diabo: As representações de Satã no corpo na Idade Moderna “a mulher é doce, mas má; bela, mas terrível”. O medo da mulher vem da capacidade de sua tentação em relação aos homens, do seu poder persuasivo e sua capacidade de disfarçar e esconder sentimentos, de controlar o ambiente doméstico, o lar, espreitando o homem na fraqueza de seu sono e seu cansaço. A mulher é uma armadilha perfeita, pois nada dela se identifica ou se percebe. 

Odão de Clúnia, o segundo abade de Clúnia e venerado como santo pela Igreja Católica (900 d.C.), disse: 

A beleza física não vai além da pele. Se os homens vissem o que está sob a pele, a visão das mulheres lhes viraria o estômago. Quando nem sequer podemos tocar com a ponta do dedo um cuspe ou esterco, como podemos desejar abraçar esse saco de excremento?”.

Jean Delumeau, historiador francês especializado em estudos sobre a história do cristianismo, em seu livro que revela os pesadelos mais íntimos da civilização ocidental do século XIV ao XVIII – o mar, os mortos, as trevas, a peste, a fome, a bruxaria, o Apocalipse, Satã e seus agentes (o judeu, o muçulmano e a mulher) chamado História do medo no Ocidente, 1300-1800: uma cidade sitiada (2009), cita:

“A beleza da mulher é que permite que a mesma possa de forma tentadora e silenciosa afetar o coração do homem, ao mesmo tempo com um doce beijo, destila o veneno no silêncio do seu coração!” 

“A mulher pode de forma sutil envenenar aquele que a ama, por isso que ela é tão perigosa, o ser mais distante da imagem de Deus.” 

São Paulo, apóstolo e escritor mais influente do cristianismo primitivo, determinava que as monjas devessem cobrir os cabelos como sinal de submissão em relação ao homem, e também para evitar relevar a grande arma de sedução das mulheres que é o cabelo, evitando dar ferramentas para o Diabo dentro dos monastérios.

A mulher também era impedida de ensinar e governar, sendo destinada a servir o homem, como um teste da pureza do seu espírito, como uma prova de que não é traiçoeira e perigosa. 

Ainda, podemos encontrar as seguintes passagens na bíblia no Eclesiástico, capítulo 9: 

Não te entregues às prostitutas em momento algum, para que não venhas a perder-te e a perder a tua herança. […] Desvia teu olhar da mulher enfeitada […] Pela beleza de uma mulher muitos pereceram, pois daí se abrasa a concupiscência como o fogo. Jamais te sentes à mesa com mulher casada nem te recostes a seu lado a beber vinho, para que teu coração não venha a inclinar-se para ela e, apaixonado, escorregues para a perdição.”

 

Leia mais em: http://junipampa.info/cultura/7-maneiras-como-a-mulher-foi-demonizada-4/#.XdcJ_tVKjIU

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Junipampa